Refluxo gastroesofágico (DRGE): sintomas, diagnóstico e tratamento

Refluxo gastroesofágico (DRGE): sintomas, diagnóstico e tratamento

 

A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é uma afecção comum, que afeta cerca de 20% da população brasileira. Quando diagnosticada e tratada precocemente, é possível ter qualidade de vida e bem estar. 

O que é refluxo gastroesofágico?

A DRGE é uma condição que se desenvolve quando o conteúdo do estômago retorna ao esôfago, o que não é normal. Isso provoca sintomas desagradáveis, podendo se tornar complicações sérias e perigosas. A mucosa do esôfago, faringe e boca, não estão preparadas para receber o conteúdo ácido do estômago, podendo sofrer alterações e causar predisposição ao câncer. 

O que causa o DRGE?

A DRGE é multifatorial, ou seja, muitos fatores podem causar abertura ou relaxamento da musculatura do esfíncter esofageano, permitindo o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago. A hérnia de hiato, que é o deslocamento do esfíncter do seu local habitual, é uma causa bastante comum. Obesidade, roupas apertadas, esforço físico vigoroso, excesso de alimentação, tabagismo e excesso de cafeína, podem ser fatores associados ao aparecimento do refluxo gastroesofágico.

Sintomas de refluxo

Existem sintomas típicos (esofágicos) e sintomas atípicos (extraesofágicos). A presença de um ou mais sintomas indica a possibilidade de refluxo e a investigação diagnóstica mais apurada deve ser realizada.

Sintomas esofágicos

  • Pirose ou azia: Sensação de queimação na região central do peito, que pode irradiar da parte superior do estômago até o pescoço;

  • Regurgitação: Sensação de conteúdo gástrico refluído para boca.

Sintomas extraesofágicos

  • Dor torácica não cardíaca;

  • Globus faríngeo - sensação de bolo na garganta;

  • Asma;

  • Tosse crônica;

  • Dor de garganta e rouquidão;

  • Apneia do sono;

  • Alterações dentárias.

Sintomas de refluxo em bebe

Nos bebês, o refluxo pode acontecer por imaturidade da musculatura e mecanismo de fechamento do esfíncter esofageano. Os sintomas incluem:

  • Regurgitação;

  • Vômitos;

  • Chiado;

  • Tosse;

  • Ausência de ganho de peso;

  • Parada do crescimento;

  • Irritabilidade;

  • Choro, especialmente quando deitado;

  • Pneumonias aspirativas.

Como identificar sintomas de refluxo emocional?

Por muitos anos acreditou-se que o refluxo gastroesofágico pudesse ter uma ligação direta com estados emocionais, como estresse e ansiedade. Hoje sabemos que condições emocionais não são capazes de causar a DRGE. Situações de estresse e ansiedade podem aumentar a acidez gástrica e, em portadores de DRGE, pode haver piora dos sintomas.

Como é feito o diagnóstico?

Os sintomas clínicos são bastante sugestivos. No exame físico, pode ser encontrada vermelhidão persistente na orofaringe.

Exames complementares, como a endoscopia digestiva alta e a phmetria, confirmam o diagnóstico.

Quando o refluxo é considerado grave?

O refluxo é uma doença que abala a qualidade de vida. A dor, azia e desconforto podem ser consideráveis e o sono pode ser prejudicado pela tosse apneia. 

A presença de doenças pulmonares, como asma e pneumonias aspirativas, tornam o quadro ainda mais grave e preocupante.

A mucosa do esôfago pode estar sobre um processo de metaplasia, que é uma lesão pré-cancerígena e, portanto, requer atenção e controle recorrente.

Tratamentos para refluxo gastroesofágico

Mudanças comportamentais e medicamentos auxiliam no controle da doença.

Perda de peso, roupas mais frouxas, evitar bebida alcoólica e cigarro, reduzir café, chás e refrigerantes, alimentação mais leve e balanceada, além de aprender a comer de forma mais lenta e reforçando a mastigação, são atitudes que contribuem para o controle da DRGE.

Quando é necessário realizar uma cirurgia?

A cirurgia é necessária quando existe a hérnia de hiato, situação em que a transição entre o esôfago e o estômago muda de lugar, migrando para dentro do tórax.

Refluxo gastroesofágico tem cura?

Existe controle através de medicamentos e mudanças de hábitos de vida. A cirurgia pode ser necessária eventualmente.

Não existe cura, portanto, reincidir em maus hábitos e ganho de peso pode fazer com que os sintomas da DRGE reiniciem mesmo após longo período de remissão.

Recomendações

  • Evite a automedicação. Sempre que tiver episódios de azia ou queimação procure seu médico de confiança para uma avaliação;

  • Evite o excesso de café, chá preto, chá mate, chocolate, molho de tomate, comidas ácidas, bebidas alcoólicas e gasosas;

  • Pare de fumar;

  • Controle o seu peso e faça atividades físicas com supervisão; 

  • Evite cintos ou roupas apertadas na região do abdômen;

  • Não se deite logo após as refeições;

  • Realize refeições em horários adequados e com menores quantidades de comida em cada uma delas;

  • Faça refeições mais leves;

  • Mastigue bem os alimentos;

  • Evite frituras e fast-foods.

Para os bebês que apresentam sinais de refluxo, evite deitá-los após a mamada, mantendo-os em pé no colo até que elimine o ar que deglutiu durante a amamentação.